15.3.09



Saber que não se escreve para o outro, saber que isto que vou escrever não me fará nunca ser amado por quem amo, saber que a escrita nada compensa, nada sublima, que está precisamente aí onde tu não estás - é o começo da escrita.

(Roland Barthes - Fragmentos de um Discurso Amoroso - trad. de Isabel Pascoal ; edições 70)

16 comentários:

Lis disse...

Escreve-se para dentro.

E precisamente aí estamos.

vaandando disse...

Escreve-se então para um aí que é o lugar do leitor... È isso ?

Cordialmente
_________ JRMARTO

zef disse...

Lis, no entanto, é quando "estamos" aí que "é o começo da escrita" e... depois se verá!

Um beijo

zef disse...

JRMarto, talvez!
O texto integra, e acaba, a Figura "Escrever. Enganos, debates e impasses a que dá lugar o desejo de 'exprimir' o sentimento de amor numa 'criação' (especialmente da escrita)".
Fala do "Inexprimível Amor",(que terá um leitor possível?).
Com igual cordialidade.

Lis disse...

Não podia concordar mais.

Olá, Zef!

Vasco disse...

Nada compensa, nada sublima. E, no entanto, move-se. Gostei de passar por aqui.

rendadebilros disse...

Voltei... e aqui estamos...
Abraço.

zef disse...

OláLis!
Vou sendo da religião de "depois se verá"!
Um beijo

zef disse...

Obrigado, Vasco.
(Sabe que Lagos é a primeira terra do Algarve que conheci, de que ainda gosto muito(e, até, passei por lá no domingo passado...)?

zef disse...

Renda, também já cá estou! Cá estamos.
Um abraço

rendadebilros disse...

... e vem um arzinho da serra... ainda era cedo para o verão...
Tudo bem por aí?

Boa semana.

Anónimo disse...

Zef, que é feito de si?

Tenho vindo lê-lo e só tenho podido relê-lo---

Vá, saia do sofá.

Lis

zef disse...

Tudo bem, Renda, obrigado. Apesar do frio...

zef disse...

Lis, não me apetece. Não saio do sofá, pronto e pronto!

Anónimo disse...

Ai, o menino! Temos birra?:)


OláZef
Lis

zef disse...

OláLis
Saí, pronto!