1.11.12

Casa na chuva

A chuva, outra vez a chuva sobre as oliveiras.
Não sei por que voltou esta tarde
se minha mãe já se foi embora,
já não vem à varanda para a ver cair,
já não levanta os olhos da costura
para perguntar: Ouves?
Oiço, mãe, é outra vez a chuva,
a chuva sobre o teu rosto.

- Eugénio de Andrade; Escrita da Terra -

2 comentários:

Rui Antunes disse...

E assim se faz o tempo, a coser por dentro.
Não se compreende inteiramente, nem pode

zef disse...

Quando se compreende tudo, ficou quase tudo por entender…
Um abraço, Rui