30.11.13

A casa dos diospiros

1.
Onde quero o olhar devia ser como os campos nas manhãs de geada, parados por causa do frio; mas,ao primeiro voo da pega azul e aos primeiros sopros do vento, as toalhas brancas aparecem pintadas de margaças, movimentos de tudo, recreio de meninos cor de papoila, confusão bonita como rebanhos de pastor benevolente. Mosto buliçoso a preparar invernos marotos.

Onde tenho o coração vejo sinais de mãos cuidadosas, de quem borda toalhas de pôr a mesa, ou prepara os jardins de gente especiosa. Mãos arquitectas de espaços rei e rainha e de princesa à espera do princês. Tudo muito certo. Arrumadinho.
A minha irmã, essência organizada sempre presente como no Livro dos Provérbios, dispõe as casas como a pentear os meninos do coro, ou a alinhavar lençóis de dormir.

2.
A nossa casa devia ser um recreio de meninos a comer diospiros, uma biblioteca com Eugénio de Andrade ao lado do Compendium Gradualis et Missalis Romani, da Montanha Mágica também, eu a olhar, e a minha irmã a rir e a cantar baixinho.

3.
Hoje, ao ir ao quintal, não gostei da romãzeira, arrumadinha.
Mas parecia a minha irmã e comecei a gostar de a olhar e de poisar nela o meu coração.

Todos os dias nos pomos à janela a falar sobre a maneira de a casa ficar bonita
jardim de meninos a comer diospiros
e também como uma montanha de onde olhar as coisas, as palavras e os silêncios.

Colmeal da Torre, 28 de Novembro, 2013

6 comentários:

Rui Antunes disse...

A lisura, mesma, também no pentear das rugas.
Texto muito bonito, Zef, único como tantos, e com vozes únicas como poucas - nas palavras, nos cantos, nos silêncios
Abraço, um mais
Rui

Anónimo disse...

Zef, caríssimo,

Espero que a sua irmã leia este texto, porque se não o fizer estará a perder um dos presentes mais bonitos do mundo! Do mundo, sim senhor!

Um beijinho
Lis

Anónimo disse...

"A nossa casa devia ser um recreio de meninos a comer dióspiros,"

que bonito, Zef!

Abraço :))

alece

zef disse...

Obrigado, Rui; as suas palavras dão-me vaidade.
Abraço

OláLis; lê, claro! É uma irmã de muitos nomes…
Beijinhos (Temos de nos ver; qualquer dia, por perto do Rio Sousa…)

Alece, voltei a ler e gostei mais (gosto mais de diospiro:pronunciado assim, é mais dúctil…)
Um abraço

Desculpas por demorar tanto tempo a acordar…

Anónimo disse...

Ou noutras terras, Zef, mas havemos de nos ver. Quero.

Um abraço!
Lis

zef disse...

Assim será, Lis.