4.3.07

Os dedos brincam com a luz de março -
não há no corpo lugar para a morte
com o sol adormecido no regaço.
Eugénio de Andrade
(foto de Marco Pedrosa)

5 comentários:

rendadebilros disse...

Que suavidade de luz e de palavra...
Um abraço.

rendadebilros disse...

Ah e bem haja pela visita e pelos votos.

amélia pais disse...

como sempre o luminoso Eugénio...e uma foto lindíssima...

zef disse...

Renda e Amélia, gostei também.

Anónimo disse...

Que lindo!
Soledade