20.7.07

Cartas da tarde

(Foto de Marco Pedrosa)

A manhã soprou doce, o chão trouxe as lembranças dos primeiros desejos e a tarde vai calma.

Vamos para o areal, para o sítio onde é costume chegar a ponta da maré. Aquela curva da rocha, onde, a princípio, a manhã nos acordava; era lá que vinha uma onda atrevida fazer cócegas nos corpos. Ríamo-nos: o mar a pensar que tínhamos gasto as forças todas e a querer continuar as carícias.

Vamos para o areal, por desejos que abençoem a tarde.

18 comentários:

rendadebilros disse...

E os passos ficam marcados na areia até chegar a maré que os leva num abraço...
Bom fim de semana!

Amélia disse...

é isso: et la mer efface sur le sable-
(não só) les pas des amants désunis
mas também dos que continuam a traçar sempe novos sinais na areia cálida.
Zef: isto é um convite ou um anúncio de viagem?
Beijos

Nota: já passou o «amuo»?

Meg disse...

Doces desejos embalados nas ondas, perdidos ou achados no mar, uns que se perdem nas pegadas na areia molhada, outros...
Um abraço

Anónimo disse...

Um mar brincalhão, esse, que ora nos dá festas ora nos entra pela alma dentro.
As tardes vão calmas, sim...
Beijinhos
ana assunção

Lis disse...

Memórias no presente?

fernanda. s.m. disse...

“O chão trouxe as lembranças dos primeiros desejos” ... abençoado chão de boa memória, e abençoada calma da tarde que assim tece as lembranças.
Um abraço.

zef disse...

Renda, leva-os deixando, por vezes, as memórias necessárias!

zef disse...

Amélia, e que nenhum vento arraste os novos sinais "dans la nuit froide de l'oubli"...

Isto é um desjo de viagem.

Nota: o tal, esse, amuo já passou.
Beijos

zef disse...

Meg, "os outros" estou atento a eles...
Abraços

zef disse...

Sim, Ana, e o sol continua a aquecer (a Amélia lembrou Prévert...)
Beijos

zef disse...

Lis, e porque não?...

zef disse...

Fernanda, e abençoadas as lembranças que tecem a calma da tarde!
Um abraço

Lis disse...

Acho que percebeu «presente» como tempo verbal...não era de tempos verbais de que falava sim de regressos ao passado presentificados.

Desejos de boa vida!

zef disse...

Mas, Lis, já não penso em gramáticas...Percebi isso mesmo que diz!
Um abraço

NINHO DE CUCO disse...

Cenário ideal para o amor total. O amor do instante e, por isso, absoluto.

soledade disse...

Ainda bem que é um projecto de viagem. Cá espero. Mas receio que a vossa viagem coincida com a minha.
Fico no entanto a olhar para a fotografia do Marco e a sler a doçura das suas palavras. Até o mar é amável, quando nos entregamos assim.
Um beijo,uma boa noite

zef disse...

Obrigado pela visita, Ninho de Cuco. Leve a Primavera sempre pelos sítios por onde andar.

zef disse...

Soledade, ainda estamos no sítio onde o sol é sempre bom...
Mas iremos mesmo "derivar" em breve.
Boa tarde, beijos