17.10.08

Conversitas



- Está-se sempre inteiro nos sítios para onde os humores nos levam.
- A janela aberta diz-nos como está o tempo.
- O sol engole o escuro e tira os cheiros a mofo.

- Está-se sempre todo nos sítios dos amores.
- O tempo julga que a janela é cega.
- Só o sol faz o dia e perfuma os vestidos e os corpos.

- Quem vai calar-se primeiro?
- Pois é! Quem?
- Os corpos já estão perfumados?

4 comentários:

rendadebilros disse...

.. o mar não se cala...

zef disse...

Renda, achei graça: reli o texto e não gostei dele. Mas o seu comentário deu-lhe uma ponta de sal e já olho com menos desgosto...
Obrigado.
Um abraço.

Sophiamar disse...

Mas eu gosto muito deste texto! E da imagem que me leva até à Senhora da Rocha, perto de Albufeira.
Quanto às letras, trouxeram-me um fado: "daquela janela virada p`ró mar..." e a saudade de tanta coisa.

Beijos

zef disse...

Obrigado, Sophiamar.
Aqueles bancos estão/estavam na Zambujeira do Mar.
Abraços