20.3.10


À Guiomar

(para quando souber ler-me nos olhos)

Subo o monte nuvem pesada.
As borboletas descem,
leves, flores ligeiras:
sabem os sítios de crescer,
auroras aladas.

Guarda-nos flores.

(20 de Março, dia de flores, 2010)

11 comentários:

Amélia disse...

Parabéns ao vôvô e à Guiomar.Que chegue e cresça bem entre flores e versos e ajude a fazer um mundo melhor!
Parabéns extensivos, é claro, a todos os que a amam desde que se soube que ela chegaria na primavera.

Soledade disse...

Nós subimos os duros montes e sentimos-lhes a densidade. Já não temos a natureza alada das flores ou das borboletas. Mas têm-na estas pessoinhas novas que na primavera chegaram ou se anunciaram.
Em boa hora, meu amigo! :-)
Um beijo

rendadebilros disse...

Grande abraço...para essa flor recente... e a toda a família! Aos avós em particular...

rita disse...

Vim espreitar e acertei... a Guiomar(inha) inspirou o seu(babado) avô e que orgulhosa há-de ela sentir-se dele...
Até breve :-)
beijos

zef disse...

Amélia, obrigado.
À Guiomar flores prometo.Versos tentarei que perceba os essenciais...
Beijos

É assim, Soledade. Que a leveza das pessoinhas seja duradoura. Das que já chegaram e das que se anunciaram, mana do meio e anunciada tia-avó.

Renda, obrigado. Daqui a momentos lá darei o seu abraço mimoso a quem de direito.

Rita, acertaste, claro.
A gente conhece-se...
Beijos

alece disse...

Lindo o poema e feliz o avô.

Abraço

alece

Anónimo disse...

Valeu deixar o nevão para ir ao encontro da flor...
Beijos beijos!
Ana

zef disse...

Alece, assim seja...
Corrijo: verdadeiras ambas as coisas, a primeira por causa da segunda
Um abraço

zef disse...

Viva,Ananita.
Beijos

fernanda s.m. disse...

Quão grato é ensinar-lhes a subir o monte e a lerem os (nossos) poemas. Quão grato vai ser senti-los a ajudarem-nos, mais tarde a subir o que já nos custa e ouvi-los lerem-nos os (seus) poemas ! Saúde e felicidades para avós e neta.
Abraços.

zef disse...

Fernanda, é bom pensarmos que o tempo vai chegar.
Obrigado.
Um abraço