8.4.13

Ladainha

O ar daqui é bom e a água corre por abundantes regatos.
(Tonino Guerra, O Mel, Canto Primeiro)

Subo às colinas e a minha irmã, a rezar uma ladainha
o céu é um pomar de macieiras asseadas de pássaros e do voo das abelhas
faz bem pensar em sítios bonitos.

Ela vai a pensar nas coisas do chão atenta aos cogumelos
mas vai-lhe nos ouvidos: macieiras asseadas,
faz bem pensar em sítios bonitos.

O que leva nos olhos longe lhe vai dos ouvidos
mas sabe do coração que
faz bem pensar em sítios bonitos.

O ar daqui é bom, os nossos silêncios fontes
casa cheia, farinha fecunda
moída por abundantes regatos.

A minha irmã é como o mar
e é bom morar em sítios bonitos.

10 comentários:

Rui Antunes disse...

Faz bem, passar por sítios bonitos.
Mesmo se o repouso é breve, não é curto
Um abraço

Anónimo disse...

Se fossemos todos mar, a terra seria mais fecunda, o céu mais azul e o coração mais leve.

Anónimo disse...

Um abraço Zef! Lis : faltou ali em cima.

zef disse...

Bem haja, Rui. Bom repouso também.
Um abraço.

OláLis. Tudo seria azul.

zef disse...

Um abraço, Lis. Faltou ali atrás.

Anónimo disse...

E eu que imaginava o mar como um sopro, sem cor... Agora vejo tudo azul em meu redor.

Lis

zef disse...

Lis, mas é isso, “La terre est bleue”, sempre; e, muitas vezes, a certas horas, ”La terre est bleue comme une oranje”...

Soledade disse...

É óptimo, como disse noutro sítio. Fica bem nesta pasárgada :-)

Anónimo disse...

"La terre est bleue comme une oranje”... :-) Et voilá que c'est vrai!

Lis

zef disse...

Obrigado, Soledade. Saudades daqui.

Que continue assim, Lis, embora seja preciso muito esforço; e é bom recordar isto no dia de hoje, com gana e alguma raiva :)