12.4.07

Se é tarde ou cedo para amar ou morrer
é matéria que talvez interesse
aos deuses: por mim, que já paguei
a portagem, estou bem assim -
atento como um gato às moscas
do amor que passa.


Casimiro de Brito, Livro das Quedas, Roma Editora

21 comentários:

Anónimo disse...

«Eu cantarei um dia da tristeza
por uns termos tão ternos e saudosos,
que deixem aos alegres invejosos
passarem a chorar o mal que não lhes pesa.»
(adaptado de Marquesa de Alorna)

Anónimo disse...

«O amigo está muito em baixo...está com uma portagem cara de mais??»

rendadebilros disse...

Bem vi os traços luminosos dos relâmpagos a cortar os céus para essas bandas . As fotos ( a "bateria" da máquina estava em baixo ) não fazem jus às suas palavras certeiras e acertadas e ainda por cima tão poéticas como sempre.
Obrigada pelo arco-íris que aqui não apareceu...

zef disse...

Caro (primeiro)anónimo, o poema é lindo, sobretudo na parte que refere querer retirar aos penedos a capacidade de espalhar os ecos

zef disse...

Caro (segundo)anónimo, o poema é de Casimiro de Brito...

zef disse...

Olá, Renda, com as faíscas e os trovões a tarde ficou mesmo bonita.

Anónimo disse...

«Cuidado. O amor é um pequeno animal desprevenido, uma teia que se desfia
pouco a pouco. Guardo silêncio para que possam ouvi-lo desfazer-se.»
(Casimiro de Brito)

Nota: Muitas vezes os poemas de que gostamos e publicamos são aqueles que reflectem o nosso sentimento.
(segundo anónimo)

zef disse...

Caro (segundo)anónimo, pode ser isso, mas pode também não ser. Pode ser assim: "está aqui uma coisa linda e vou pô-la na mesa; pode ser que os outros gostem".
E sinta-se bem sentado nesta mesa, dando-nos, se achar bem, o gosto de o tratarmos por um nome.

soledade disse...

Falta-nos Amélie para lembrar o "sentir, sinta quem lê". Eu sorrio da imagem final: alegre, pacífica (mas seu quê de marota) tal qual um gato. E como não conhecia este poema do Casimiro de Brito, peço ao Zef que me permita publicá-lo (e linká-lo) na arca da reverendíssima. O poema agradou à Jade :)
Bom fim de semana, aguardando (expectante) novas das plantações.
Beijos para todos em Pasárgada

fernanda s.m. disse...

Gostei do sentimento do poema ( tal como a Jade, mas gata não sou...). Mas apreciei muito o humor fino e cavalheiresco do Zef ( de gato, Soledade ... ??).
Bom fim de semana para todos.
As romãzeiras, por essas bandas, já estão em flor ?

zef disse...

Pacífica e marota, certo, Soledade.
Quando a Jade acabar a partitura (e com que força se lança sobre o piano para lhe adormecer sobre a música...), ofereça-lhe, sinsenhora, o poema
Beijos também daqui.

zef disse...

Fernanda, também gostei do poema.
Por aqui, as árvores vão medrando à medida que o sol vai crescendo.
Beijos e bom domingo, que é o que resta do fim de semana.

rendadebilros disse...

Ah então agora já pôde perceber melhor ( com a visita à nova Praça Velha) os meus desabafos sobre tais obras... Mas eu nem sou cá da terra e , se os da terra aprovam, quem sou eu?...
Bom domingo. Eu andei por essas bandas e provo-o com uma foto de hoje mesmo, domingo: fui outra vez a uma festarola de anos de gente do Colmeal lá para a Lameira com porco no espeto e bom pão , vinho a correr dos garrafões e cerveja bem tiradinha sempre a sair para quem gosta...Com a Tuna e um acordeonista...
Lá ficaram nos folguedos e eu já voltei que tinha outros compromissos...

jpg disse...

ZEF:

Enviei-lhe ontem à noite (Sábado para Domingo) para os seus dois mails, as impressões sobre o que me pediu.
Será que recebeu os mails ou houve qualquer barraca do servidor?

Um abraço.

zef disse...

Renda, bem me pareceu que, das margaças de junto da ribeira que dá de beber à Lameira, saía um cheirinho a marraninho a rechinar...Já vi a prova e o hino altaneiro.
Abraços

zef disse...

Jorge, vi e obrigado pelo cuidado
Um abraço

rendadebilros disse...

Abraços.

Anónimo disse...

Porque será é que eu por
vezes não consigo entrar nos comentários?
Gostei do poema.Como a Soledade respondeu por mim, acrescento apenas que «o poeta é um «fingidor», fingindo dores que deveras sente - ou não...

Amélia

rendadebilros disse...

Veja lá o que lhe aconteceu : ganhou um Prémio...Parabéns!!!

zef disse...

...e, Amélia, quem se esquecer disso começa a tresler quando julga que está a ler...
Já me não vai ler, mas, mesmo assim, bom descanso

zef disse...

Ó Renda, vou pensar no prémio...Mas interessou-me mais a explicação lá na sua boa "conversa"...
Um abraço, sem sombra de perdão por ter cá voltado sem ter dito nada...