28.5.07

na casa que tens

quiseste entranhar o amor
e vais roer a dor.

o moinho mói o trigo
e a dor é o sol do teu pão.

o choro é o crescente e a água.

põe na mesa os bocadinhos de trigo e sol
na casa que tens
e espera.

24 comentários:

rendadebilros disse...

A doçura das palavras: ninguém sabe como o amigo dizer suaveamargamente dizer todos os nossos sentimentos tão bem e tão bonito!!!
Um abraço.

Amélia disse...

Gosto muito, Zef.E pensar que tinha tudo tão escondido...Beijo amigo

soledade disse...

«quiseste entranhar o amor
e vais roer a dor»
Tudo o que vale a pena custa um bocadinho, dói um bocadinho. Ou muito. Os equilíbrios são subtis: aprender a aquecer as mãos a uma réstea de sol, a um pedacinho de trigo. E não desesperar...logo!
Beijo

rendadebilros disse...

A certa altura, começa a bater a saudade deste sossego!!!
SEmpre por aí a passear por esse Portugal!!!
Abraços.

Anónimo disse...

E pouco mais podemos fazer,na casa que temos...
(andamos muito às voltas com esse último verbo)
Bjo
ana assunção

fernanda s.m. disse...

« põe na mesa os bocadinhos de trigo e sol
na casa que tens
e espera. »

Que sabedoria melhor para encontrar aquilo a que se poderá chamar felicidade. Inventá-la na dor e ficar tranquilo.

Porque será que me lembrei de Horatio ?

Lindo, Zef. Muito.
Bjo.

Anónimo disse...

"na casa que tens" parece sugerir a necessidade do sofrimento para a exaltação do amor. Remete para um certo universo cristão que tenho muita dificuldade em acompanhar.
Os últimos três versos são belíssimos. Descasados dos anteriores dão forma a um poema novo.

FQ

zef disse...

Renda, "suaveamargamente" parece-me bem. Quanto a "ninguém sabe...", exagero de amiga, mas gosto de ouvir...
Abraços

zef disse...

Amélia, fui perdendo o medo...por culpa sua também.
Um beijo

zef disse...

Soledade, o sol nosso de cada dia é tarefa diária, até para quem se julga abençoado pelos deuses da tranquilidade...
Beijos

zef disse...

Ana, refere-se à espera? Mas é isso. As casas que temos andamos sempre à volta de qualquer vazio...
Beijos

zef disse...

Fernanda, obrigado. Horácio fala de "metade da minha alma", que muitas vezes é esquiva...
Beijos

zef disse...

Francisco, penso que o amor não pede necessariamente o sofrimento, mas que, às vezes, dá muito trabalho, lá isso dá...Então quando entranhado!...
Os últimos versos também me caem bem. Mas são fruto dos outros e ainda não sei descasá-los.
Um abraço

rendadebilros disse...

Nada de cortinas a separar-nos , é sabotagem mesmo!!! Já ontem quis responder ao seu mail e também não consegui , não é estranho???? Também só queria dizer-lhe que os portugueses lá se vão valendo do humor para fazer jus ao ditado "tristezas não pagam dívidas"!!!
A esta hora já não chove. O tempo anda estranho... também e até há sol!
Um abraço e que corra tudo bem por aí.

rendadebilros disse...

Então essa criança que "espreita" ainda por aí, aproveitou bem o dia?
Um abraço.

zef disse...

...Foi possível ver o Sol, apesar de algumas nuvens, imaginadas carneirinhos...
Um abraço, Renda

Anónimo disse...

Prefiro a casa onde "vivo".
Afasta a ideia da propriedade privada.
Nem todos têem a sorte de terem "a casa que tens" e , apesar disso, podem ter nela tudo o que as parcas palavras tanto dizem na "casa que tens"!
"Casar bem" , talvez só a ou com a poesia!
Abraço
Zé Orlando

J.G.Sineiro disse...

Poema triste, meu amigo.

Não gosto muito daquele "vais" tão imperativo!
E, como sol do nosso pão, poderemos bem usar algo melhor do que a dor.
É só procurar os ingredientes certos...

Um abraço.

zef disse...

Zé Orlando: "a casa que tens" não será a casa que queres ter?
Já tardavas...
Um abraço

zef disse...

Jorge, também me parece: há aqui uma nascente fria que, no princípio, não será boa companhia. No entanto, não aparecem pontas de esperança?

Lis disse...

Na casa que tens,tens a esperança solarenga e fértil de moinhos de amor...que breve seja a espera.

zef disse...

Assim é e assim será, Lis.
Obrigado e boas letras e, de manias..., q.b.

J.G. disse...

ZEFERINO:

A que se deve tão longa paragem? Hoje já é o 6º dia de Junho, amigo!

Espero que essa saúde esteja boa.

Um abraço.
Jorge G

zef disse...

Amigo Jorge
Obrigado pelo cuidado. A saúde anda bem. De resto, há horas mais solares que outras, como os dias. Às vezes, é bom preguiçar.
Um abraço