11.8.07

Conversitas

- Escuta isto do Daniel Faria:
”Se acender a luz
Não morrerei sozinho."

- Está bem. Mas, se apagar a luz, vejo mais para dentro e não preciso de fechar os olhos…

- Mas, assim, não dou conta de que também estás a olhar para mim. E, se pelo rabinho do olho, entrar uma ponta de luz…

- E é preciso?

- Quem olha gosta de saber que está a ser olhado!

- Não era da luz do Daniel que estávamos a falar?

- Mas eu não mudei de conversa!

- Pronto, vou acender a luz.

14 comentários:

soledade disse...

Esta conversita é profunda. Como se acenderá essa luz que não nos deixa morrer sozinhos?...

Anónimo disse...

Pronto, a Sol já por aqui passou e deixou uma pergunta que eu ia fazer; mas já agora deixe-me acrescentar que a sua conversita (profunda, sim!)teve o dom de produzir em mim o melhor sorriso do dia, talvez até do fds...
Valente regresso.
Beijos para aí
ana assunção

C Valente disse...

luz acesa ou apagada , que dilema
saudações amigas

zef disse...

Soledade e Ana: não sei...mas, às vezes, vou pelo Principezinho:
" - Vai ser bom, sabes? Eu também vou olhar para as estrelas."

E até pode ser que, na altura própria, venha um "clarão amarelo" e se caia "de mansinho como caem as árvores...sem fazer barulho..."
Beijinhos

zef disse...

C Valente, teimo na luz acesa, inda que seja do tamanho do pirilampo...

J.G. disse...

Que a luz nunca se apague, amigo!

A minha, quero-a sempre acesa enquanto me reconhecer.

Um abraço.

Meg disse...

Não, apagada não, nem que seja só de presença... mas lá.
Escuridão, definitivamente não!
Um abraço

zef disse...

Também eu, Jorge, quer seja eu a reconhecer-me, seja ela, a luz.
Um abraço

zef disse...

Meg, definitivamente não!
Abraços

alece disse...

Sem palavras deixo um abraço.
alece

rendadebilros disse...

Voltei!!! É bom saber que me desejou férias bonitas e é bom chegar e ler em Português...
Um abraço.
Vejo que acrescentou Colmeal da Torre ao seu "lugar" ... vai ficar famoso assim o Colmeal!

J.G. disse...

Passei para ver se havia nova "luz".

um abraço.

Lis disse...

Ninguém morre sozinho. Morremos pelo menos com o vivemos, com as pessoas com que nos cruzámos. Podemos é morrer bem ou mal acompanhados, conforme as escolhas que fizemos. Embora aqui a questão seja a luz, que é muito mais positiva. Ou luzes. Muitas, em todo o caso.
Um sorriso iluminado.

zef disse...

Obrigado, Alece. Abraços

Renda, bom regresso e abraço

Jorge, o seu interesse é honra.
Um abraço.

Lis, "sorriso iluminado", também!