18.3.08

Na Baía de Faro (com um poema de Elytis)

“Abro a minha boca * e o mar se regozija”

(Em “Louvada Seja – Áxion Estí”)

Abro os olhos e a água sem rugas traz desenhos que lhe desenhei, de pele lisa ainda, a minha. Julgava-os delidos.

O mar guardou-os e está a pôr uma a uma as pétalas no pé donde, bem-me-quer-mal-me-quer, em anos verdes as fui soprando em desenhos de abandono.

Se fosse de pôr flores no cabelo como os amantes, ainda iria recolhê-las, bem me quer.
Eu, amante imperfeito.

Água-céu de Faro, Áxion Estí.


12 comentários:

Amélia disse...

(estava com saudades...desde o dia 8...)
Gosto muito deste seu texto - posso colocá-lo qualquer dia no meu blogue?

Beijos

Anónimo disse...

Gostei!
Aos amantes imperfeitos...Áxion Estí.
Vou ao país de Elytis até às praias de Homero e o mar será sempre o da infância.
Beijos a ambinhos
ana assunção

f.s.m. disse...

Ainda não me refiz da primeira leitura... Tenho de voltar para ler a outra hora : talvez numa madrugada...
Um abraço pela escrita que não se consome ao primeiro contacto.

zef disse...

Tempo bem contado, Amélia!
Quando quiser, ponha isto no seu Barco, Feace hospitaleiro. Fico coroado de flores...
Beijos(e, também, boa viagem? - queria ir também!
:-(

"Louvada seja", Ana.
De caminho, vá "rezando" com Kaváfis:
"Quando começares a tua viagem para Ítaca,
reza para que o caminho seja longo".
Regresse(m) cheia(s) de uvas, uma oliveira e alguns figos. O barco de que falava Elytis, por ora, não o tragam.
Beijos dambinhos

Fernanda, então escolha a madrugada...
(Só agora dei conta da sua Estrela. Há-de iluminar muitas madrugadas!)
Beijos

Sophiamar disse...

Bonito poema, Zef!
Estiveste � beira da minha ria, da minha S� na minha cidade? Quanto gostava de te ter conhecido!

Ainda cheira a flor de laranjeira aquele largo voltado para o mar.
Beijinhosssss

rendadebilros disse...

Já havia saudades. Espero que esteja tudo bem.

Este poema ...perfeito para todos os dias.
Boa Páscoa.

Lis disse...

Bom dia da árvore!

;-)

zef disse...

Obrigado, Sophiamar.
(Quando voltar, direi)
Beijos

Renda, está tudo bem, bem haja.
Um abraço

Boa noite, Lis da árvore!
; -)

fernanda s.m. disse...

A Baía de Faro - metáfora da dualidade na minha vida, mas sempre o MAR.
Louvado seja o Mar que guarda pétalas, as da nossa memória.
Louvados sejam os amantes imperfeitos, pois neles se encontra a perfeição desejada.
Mas as pétalas que ao Mar entregámos, só na eternidade ele no-las devolverá...

Um abraço, Zef.

soledade disse...

Deu fruto :)
Nada está delido, vê?
Um beijo

zef disse...

Fernanda, às vezes apetece dizer à eternidade que entre, que lhe faz bem estar com a gente(sei que estou a citar, de cor, Bandeira!). Porque se a eternidade fosse do nosso tamanho!...
Um abraço

Soledade, deu fruto simsinhora, verde mas deu...
Beijos

zef disse...

Dirigindo-me à Fernanda, falava de Bandeira citado de cor. Mas, se calhar não é. E, se não é Bandeira, cabeça a minha!, já não sei...