4.12.08

TEMA E VARIAÇÕES

(Copiei este sono não sei donde)

Sonhei ter sonhado
Que havia sonhado.

Em sonho lembrei-me
De um sonho passado:
O de ter sonhado
Que estava sonhando.

Sonhei ter sonhado...
Ter sonhado o quê?
Que havia sonhado
Estar com você.
Estar? Ter estado,
Que é tempo passado.

Um sonho presente
Um dia sonhei.
Chorei de repente,
Pois vi, despertado,
Que tinha sonhado.

Manuel Bandeira Opus 10

9 comentários:

rendadebilros disse...

Os sonhos simples parecem assim: sonhos... esta simplicidade de Manuel Bandeira é desarmante...

As lutas com esta união são realmente extraordinárias... são para me despedir.
Abraço.

Meg disse...

Querido Zef,
Estes sonhos sobre sonhos sonhados, de sonhos passados sonhando, sonhando que os sonhos passados no passado, só podiam ter um desfecho... um despertar amargo.
Que pena.
Só Manuel Bandeira para brincar com os sonhos desta maneira.

Um abraço

Anónimo disse...

Sonhar sonhando faz bem,e, às vezes é bom,mesmo que ao acordar deixe um sabor amargo, o que importa é saber transpor para vida o sonho lindo que vivemos sonhando.Vamos aprendendo a rir e a chorar,com o sonho que sonhamos.
Beijos da mana chata

Anónimo disse...

O sonho na literatura dava uma bela tese de doutoramento...

Mas não serei eu a fazê-la.

Um beijinho a todos,

Lis

zef disse...

Renda, a simplicidade de Bandeira refulge em muitos poemas deste Opus 10.
(Já vi a sua espécie de despedida. Vou voltar por lá: é preciso guardar o que nos encheu a vida, não é?)
Um abraço.

Meg, mas trata-se de sonhar "ter estado" e não é bom sonhar mesmo com acordar amargo? :)
Um abraço

Olá, mana chata(não és nada, eu é que sou), ainda hei-de pôr este comentário como entrada na Romãzeira(esta é que está a ficar chata, não está?).

Dava, dava, Lis(olá), mas também não serei eu a fazê-la. Se tivesse tal tal ideia tola, haveria de ignorar toda a gente que se propõe interpretar os sonhos(e nunca falava dos meus...). Começava por pôr de lado Prometeu. Só guardava dele o fogo...
Beijinhos nossos

rendadebilros disse...

Não enjeitamos as boas recordações e o caminho com os nossos alunos... os outros problemas não têm nada a ver com eles... nem com os pais...
Abraço

soledade disse...

Perdoa-se-lhe a mágoa porque é poema de Bandeira. Ai, o tempo, as perdas, a saudade...
Um beijo.

zef disse...

Senhora mana do meio, vi-a aqui ontem, mas estava ao lume, quase a sonhar...

soledade disse...

E eu a sonhar, mesmo: dormia, sentada e exausta, quando a sua sms chegou. Só a vi no dia seguinte :)