14.12.08

Um Poema

(Foto de Marco Pedrosa)

Vem, linda peixeirinha,
Trégua aos anzóis e aos remos.
Senta-te aqui comigo,
Mãos dadas conversemos.

Inclina a cabecinha
E não temas assim:
Não te fias do oceano?
Pois fia-te de mim.

Minhalma, como o oceano,
Tem tufões, correntezas,
E muito lindas pérolas
Jazem nas profundezas.


Heine, Tradução de Manuel Bandeira


(Hoje fui ver o mar, que estava nervoso, irrequieto. Lembrei-me disto.)

10 comentários:

Amélia disse...

«Gosto do mar desesperado
a bramir e a lutar
e gosto de um barcoa ainda mais ousado
sobre esta rebeldia a navegar» -Miguel Torga


Lemv´brei-me desta quadra ao lê-lo.Um abraço.

soledade disse...

E lembrou bem. Como achou o mar? Com este vento, calculo que estaria longe desta ternura de Bandeira. Ah, a foto do Marco é óptima!
Um beijo

rita disse...

E esse mar aqui tão perto...mas não o suficiente para vos fazer cá chegar.
beijinhos

Anónimo disse...

E lembrou muito bem...(onde é que já li isto :)
Por acaso, também passei ao lado do mar , irrequieto sim mas não achei nervoso. O meu bocadinho de mar estava a abraçar o Tejo e assim, não, não o achei nervoso! Pensei que é bonito um mar que pode andar por tanto mundo, ficar-se por aqui neste namoro secular...
Ai ai, e não me lembrei de poema nenhum...mas de uma cantiguinha popular "o mar enrola na areia..."
e este poema daqui é uma ternura.
E a foto "vem, linda gaivotinha" pode ser?
Tanta conversa...
Beijinhos
ana assunção

Anónimo disse...

Que pena não poder estar contigo a olhar esse mar zangado, gosto de o ver nervoso como o dizes, revolto como eu digo, pois quando tenho o prazer de o ver mesmo zangado consegue tranquilizar-me, inspirar-me, dar-me paz.Parabéns ao Marco, tem fotos lindíssimas.Para ti, continua a ver o mar os montes e tudo que te der mais alegria mais prazer.Beijinhos até ao natal.A mana chata

rendadebilros disse...

Para um mar irrequieto, Manuel Bandeira está muito bem pensado...
Abraço.

soledade disse...

Venho deixar um beijo de Boas Festas, talvez o vento do mar o leve até ao Norte :)

alecerosana disse...

o mar passa-me à porta:)

Um abraço e um Natal feliz!

Meg disse...

Zef

Minhalma, como o oceano,
Tem tufões, correntezas,
E muito lindas pérolas
Jazem nas profundezas.


Desejo-te um BOM NATAL e que 2009 te traga a realização dos reus sonhos.

Um beijo de FESTAS FELIZES!

Meg

zef disse...

Amélia, às vezes vemos o mar do jeito que somos.
Outras vezes, Soledade, vamos até lá para sabermos como é que estamos (as suas palavras todas chegaram cá todinhas).
E ao mar, Ana, não incomoda nada a maneira como o olhamos. Às vezes penso assim e outras não…E lembrou muito bem :) que é bonito um mar que pode andar por tanto mundo, enrolado, ou não, na areia.
Rita, iremos aí, ainda que seja preciso andar muito. De resto, o mar aí perto e vós nunca estais longe de nós.
Lurdes (não és chata, não) olha que, quando o mar me põe zangado, viro-lhe as costas…
Olá, Renda, até, cá para mim, Manuel Bandeira está sempre bem pensado :)
Alece, estar ao pé do mar…estamos sempre em qualquer sítio. Mas não será bom podermos dizer a alguém “olha, vamos ver o mar”? – Sei que é bom!
E, (boa noite, Meg), não é mal querermos ser como o mar.

Que estes dias encham as nossas casas.

Beijos