6.2.07

A casa














Construí a casa sobre um chão de angústia
mas fi-la de modo a caber lá eu
e tudo que trouxer de fora o coração

(António Rebordão Navarro)

10 comentários:

Jorge P.G. disse...

Boa tarde!

Já agora, deixo-lhe oa resposta ao seu comentário no meu blogue, que desconheço se leu.

Um grande abraço, Zef! Extensivo à bela Belmonte, onde comi às 3 e tal da tarde, dos melhores hamburgers da minha vida...num café de esquina um pouco abaixo da casa da família de Álvares Cabral.
Já agora, dê os parabéns, por favor, à Câmara Municipal de Belmonte pelo excelente site que têm.

Sobre este post, bonito pensamento este de A. R. Navarro!

Um grande abraço.

zef disse...

Já vi, Jorge. Belmonte tem muito mais coisas do que as anunciadas e faladas em todos os sítios...Quando voltar, diga, que não serei mau cicerone e haverá sempre pão e o copito que a companhia pede...
O site da Câmara é bom, mas prefiro ver Belmonte com outros olhos...
Um abraço

alecerosana disse...

Covilhã, Sortelha (e as águas radium?), Caria, Belmonte, etc... etc... bonitas terras!

zef disse...

E ainda mais, ainda mais, Alece!

fernanda s.m. disse...

Zef, já tinha visto que é ou vive em Belmonte, mas não tinha feito comentário nenhum, pois por essas terras andei quando era bébé, já lá vão tantos anos... Agora vi num comentário da "alecerrosana" a referência a Caria, tão desconhecida da maioria das pessoas e enterne ci-me.Não nasci em Caria porque nessa altura os maeus Pais vieram para Soure (distrito de Coimbra) para eu nascer na casa-mãe da família. Mas logo voltámos para Caria onde vivi até aos 3 anos ( há 62 anos: faça as contas ...) Voltámos muitas vezes a essas paragens onde meus Pais tinhamdeixado bons amigos, mas agora, há muitos anos que lá não vou. Meu Pai foi médico (princípios deos anos 40 - duros) na Casa do Povo de Caria. Belmonte, Tortozendo, Idanha, Covilhã, etc.. Memórias, mas na realidade sou beirã. Bem-haja ! Bem-haja pela poesia da sua fala.
fsm

zef disse...

Pois é, Fernanda, apeguei-me e preguei-me a Belmonte. A minha mulher é de cá e foi cá que com mais agrado e empenho trabalhei. Foi também aqui que os filhos começaram a crescer. E, pronto, como diz o outro, gosto destes sítios, para onde regressámos após alguns anos de ausência.
Quando quiser passar por cá, conte com amigos.
Um abraço
Zef
(Estou a ver que não consigo pôr um comentário no meu blogue...)

fernanda s.m. disse...

E eu, ao reler o meu comentário, escrito com alguma pressa, verifico que o deixei repleto de "gralhas"... ainda vou ter de pagar direitos de autor à nossa amiga Amélia.. Desculpem a brincadeira. Obrigada pela oferta que retribuo, na cidade que me acolheu, para onde me trouxeram meus Pais, onde casei e onde todos me deixaram sozinha - é agora a minha cidade - do Liz.
fsm.

alece disse...

é interessante como os caminhos se cruzam, a cidade do Lis é o meu berço, a beira a minha terra de adopção, mas por caprichos do destino não vivo em nenhuma delas.

Zeferino, peço desculpa por invadir o espaço comentando comentários.
Alece

fernanda s.m. disse...

Curioso mesmo, alece... O zef que nos desculpe; mas ele foi o fio condutor . Bom domingo para ambos.
fsm

zef disse...

Fernanda, Alece e mais gente, quem tem raízes, ramos ou memórias destes sítios faria uma grande mesa...