13.2.07

Tenho tal medo das palavras dos homens.
Eles exprimem tudo com tanta clareza:
e isto chama-se cão e aquilo casa,
e aqui é o começo e acolá é o fim.

(Rilke, trad. de Paulo Quintela)

4 comentários:

airesmontenegro disse...

Oh... Como eu te compreendo!...

rendadebilros disse...

E amigo é maravilhoso... e se encontra as palavras certas para nos dizer deixa-nos de coração emocionado!!!
Um abraço.

Amélia disse...

...é mesmo isso -tão limtada a linbguagem dos homens.É dos poetas re-inventá-las ou fazê-las regressar à origem.

zef disse...

O poeta continua:
"...
Gosto tanto de ouvir cantar as coisas.
Mal lhe tocais, ficam hirtas e mudas.
Matais-me todas as coisas."


Bom fim de tarde, Aires, vizinha Renda e Amélia