17.9.07

Felicidade

A felicidade sentava-se todos os dias no peitoril da janela.

Tinha feições de menino inconsolável.
Um menino impúbere
ainda sem amor para ninguém,
gostando apenas de demorar as mãos
ou de roçar lentamente o cabelo pelas faces humanas.

E, como menino que era,
Achava um grande mistério no seu próprio nome.

Jorge de Sena

9 comentários:

Sophiamar disse...

Deixemos que a felicidade continue a sentar-se no peitoril das nossas janelas. � dif�cil num mundo t�o conturbado quanto o nosso mas fa�amos por isso.
Beijinhos

Vladimir disse...

Temos que manter a janela aberta, para que a felicidade possa entrar.

rendadebilros disse...

É um mistério que atravessa o Homem de todos os tempos...
Se quiser ter a maçada de passar lá pelo meu "sítio" para recolher um Prémio...
Um abraço.

Anónimo disse...

A felicidade por vezes tem olhos de catraia caídos nos olhos de Zef caídos nos olhos de uma maria.

Rui Caetano disse...

A felicidade senta-se no peitoril das nossas janelas todos os dias, mas nós é que temos de ir ao encontro dela.

soledade disse...

Este poema é uma ternura. O Sena, quase sempre tão duro, tinha destas delicadezas. Pois assim é a felicidade, esta vulnerabilidade fugidia e doce como um rapazinho.
Um beijo

zef disse...

Sophiamar, penso que ela está sempre a rondar, às vezes de máscara, a tentar perceber se temos olhos de ver...
Beijinhos

Vladimir, ou para podermos olhá-la com olhos de pedir: talvez seja esse o "ambiente" dela!

Renda, e. se não fosse tão mistério, só havia tempos felizes sempre ou desgarçados sempre, o que não tinha nenhum gosto!
O prémio recolhi-o. Agradeço e mando-lhe cinco sorrisos.

E, Catraia miúda (avuitor comi que adevinhei?), interessam-me esses momentos parecidos com saltinhos de berlinde!
E habitua-te a esses ares de Leiria, por onde andam alguns olhos amigos...
Beijinhos

Rui, certamente, mas, às vezes, são precisos momentos de espera.

Soledade, "doce" porque "fugidia", a felicidade: é do seu querer dela fazer-se rogada!
Beijinhos

soledade disse...

Zef, avuitor comi também, que adivinhei: a Catraia podia entrar em contacto. Eu gostava muito de ver a pequenina :)

zef disse...

Soledade, estão feitos os contactos diplomáticos adequados :-)