13.9.08

Cartas da tarde



Há cartas que são ridículas, mas gosto de cartas e não me interessa se são ridículas.
Sinto-as e depois é como estivesse a ditá-las.
Demoro porque as palavras levam muito tempo a chegar. E também, quando as leio, quero gostar das palavras tanto como mais alguém vai gostar.
Sinto-as.
Às vezes, não são bem as esperadas. São como aquelas linhas da criança a quem se pede "Desenhe uma flor".

11 comentários:

Amélia disse...

É isso mesmo,Zef.Gosto de receber cartas, de as ler, reler, guardar no coração...
E gostei de ler o que o amigo diz.E vivam as cartas...e se forem de amor ou de amizade, pois bem, que sejam ridículas!

Anónimo disse...

O que chega sem contar, chega sempre ao seu lugar.

Também gosto de mails...

:-)



Lis

Anónimo disse...

Pois eu gosto que gostem de cartas, isso lá importa que sejam ridículas se são imperiosas.
E, se, às vezes, não são bem as esperadas, nada de desesperos pois se até deus escreve certo por linhas tortas...
Ai Zef, um beijinho, um sorriso e pronto!
ana assunção

zef disse...

Vivam as cartas, Amélia, e haja sempre quem as leia e guarde!
Beijos

É isso Lis. E quem chega ao seu lugar esteja no sítio onde o/a querem ver.
Prefiro cartas, escritas à mão, em papel que possa dobrar, a embrulhar bem o dito e o ainda não dito...
:-)

...E, Ana, apetecia-me continuar as suas palavras...Mas, pronto, que as palavras todas encontrem os olhos que procuram, pronto.
Beijinhos.

soledade disse...

Outra que gosta de cartas, mais das de papel, mas podem ser electrónicas, importa é que cheguem e digam: "não te esqueci".
E pronto :-)

Rosa dos Ventos disse...

Eu estou com a Soledade! :-))

Abraço

zef disse...

Soledade e Rosa dos Ventos
E quem não gosta(va)?
Das que recebi guardei algumas e das que mandei sei que algumas estão guardadas...
Agora, vou "fingindo", que é o mesmo que dizer "modelando", algumas, até electrónicas.
:)
Beijos

rendadebilros disse...

E que importa? São cartas de amor ... delicadas ... e únicas... que mais importa?

zef disse...

Verdade, verdadinha, Renda.

Sophiamar disse...

Também gosto de cartas. Ridículas ou não. Mas as ridículas são de amor e eu gosto de amar e ser amada.

Beijinhos

zef disse...

...e ridículo é quem não escreve cartas de amor...