15.1.07

Escrevendo

Escrevendo quis eu
Salvar a minha alma.
Tentei fazer versos
Não consegui.
Não se pode escrever
Para salvar a alma.
A rendida parte à deriva e canta.

- Marie Luise Kaschnitz; trad.:Paulo Quintela -
In:Rosa do Mundo

3 comentários:

rendadebilros disse...

Zef
Que belo dizer o que não se consegue...
Um abraço.

zef disse...

Bem gostava de ter sido eu. Não é fácil ver, quieta, a alma. Nem seria bom vê-la assim.
rendadebilros, um abraço.
(A Soledade já abriu a janela da casa dela...)

Soledade disse...

A minha casa é só correntes de ar.
Tirando isso, este poema é de facto muito bonito. E subtil. Não, não há palavras que diganm da almazinha vagabunda que já Adriano assim caracterizava.